As ações de governo relacionadas ao uso de álcool e outras drogas devem estar focadas na redução de seu impacto social, priorizando os segmentos mais expostos a essas consequências, seja por características de seu ciclo de vida, como as crianças e os adolescentes, seja por encontrarem-se em situação de maior vulnerabilidade social.

Para o Plano Plurianual do período de 2016 a 2019, foram definidos como principais objetivos : prevenir e retardar o uso de drogas lícitas e ilícitas, principalmente entre crianças, adolescentes e jovens; ofertar cuidado e ações de reinserção social para as pessoas que têm problemas com álcool e outras drogas e apoiar as famílias para lidar com essa temática.

Com relação à prevenção, o Governo Federal está focando suas ações junto às escolas e às famílias, com o intuito de retardar o início do uso de álcool e outras drogas por crianças, adolescentes e jovens e diminuir as chances de uso problemático na vida adulta. Para isso, os programas de prevenção serão expandidos e capilarizados por meio das redes e políticas de saúde, educação e assistência social.

As estratégias de prevenção também implicam produção e disseminação de informações de qualidade sobre a temática para a sociedade como um todo, e a formação de trabalhadores da rede de atenção às pessoas com problemas com drogas, de modo a produzir um cuidado que contemple as diversas necessidades e direitos dos usuários e suas famílias.

Para aqueles que buscam ajuda junto às redes públicas, é necessário ampliar o acesso, articular e qualificar as redes de cuidado e a reinserção social. Isso implica na expansão e qualificação dos serviços de saúde, da assistência social e de cuidados complementares, além da adoção de parâmetros de funcionamento e qualidade, para o aprimoramento do serviço público oferecido.

Como a vulnerabilidade social aprofunda as conseqüências negativas das drogas, o cuidado das pessoas que tem problemas com drogas impõe a necessidade de forte articulação entre as ofertas de saúde, assistência social, moradia e geração de trabalho e renda. Dessa forma, são oferecidas as condições para o restabelecimento de projetos de vidas e a reinserção social dessas pessoas.

Uma política sobre drogas eficaz deve ser capaz de ofertar cuidado integral, que atenda à multidimensionalidade do problema do álcool e de outras drogas. Assim, também estão previstas ações para o fomento da articulação intersetorial e gestão transversal da política sobre drogas, envolvendo as áreas de saúde, educação, assistência social e direitos humanos, dentre outras relacionadas ao tema. Além disso, o aperfeiçoamento do planejamento, monitoramento e avaliação também são essenciais para a construção de uma política sobre drogas cada vez mais eficaz e humana.