O setor de turismo desempenha um importante papel na economia mundial. De acordo com a Organização Mundial do Turismo - OMT, 6% das exportações totais e 30% das exportações de serviços se devem à atividade - volume equivalente ao de mercados como combustíveis, produtos químicos, alimentação e automobilístico. Além disso, somente em 2014, o turismo movimentou US$ 7,6 trilhões, o que representa 10% de toda a riqueza gerada na economia mundial (Conselho Mundial de Viagens e Turismo, WTTC) . O setor é responsável por 277 milhões de empregos, o equivalente a um em cada 11 na economia global.

No Brasil, o turismo tem se consolidado como uma atividade econômica de grande relevância, representando, de acordo com o WTTC, 3,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014. Por sua relevância, o acompanhamento desse dado foi escolhido como um dos quatro indicadores do Plano Plurianual. Em termos globais, Brasil aparece como a 9ª maior economia de turismo. Considerando seus efeitos diretos, indiretos e induzidos, estima-se que em 2014 o turismo tenha movimentado R$ 492 bilhões no País, o que representa 9,6% da economia brasileira (WTCC). O total de empregos formais nas atividades características do turismo apurado na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) foi de 3,2 milhões em 2014, sendo escolhido como segundo indicador do programa.

O papel do setor na economia brasileira também tem sido percebido internacionalmente: o país, em dois anos, avançou 23 posições no ranking de competitividade do turismo, realizado pelo Fórum Econômico Mundial, passando do 51º lugar, em 2013, para a 28º posição, em 2015. Além disso, entre 2003 e 2014, o país mais que dobrou a entrada de divisas geradas por turistas internacionais, com um crescimento da ordem de 178,9%. No mesmo período, o total de congressos e convenções de negócios realizados em todas as regiões brasileiras saltou de 62 para 291, e o número de cidades brasileiras que sediaram esses eventos saltou de 22 para 61, conforme dados divulgados pelo Internacional Congress and Convention Association - ICCA . Também compõe a cesta de indicadores do programa: Índice Internacional de Competitividade do Turismo Brasileiro, apurado pelo Fórum Econômico Mundial; Receita Cambial do Setor de Turismo em relação à Receita das Exportações (WTCC).

O Brasil sediou a Copa do Mundo de Futebol em 2014. A Copa projetou a imagem do turismo brasileiro no Brasil e no mundo. Cerca de um milhão de estrangeiros circularam no Brasil durante o torneio, além dos próprios brasileiros que ampliaram viagens no período. Mais de 490 cidades brasileiras foram visitadas por estrangeiros durante a Copa.O mundo aprovou o turismo no Brasil: mais de 95% dos visitantes internacionais que aqui estiveram durante a Copa têm intenção de retornar (pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo). O desafio agora é intensificar as ações de promoção dos destinos e produtos turísticos brasileiros de forma a garantir a continuidade do aumento do fluxo turístico no País, com competitividade e sustentabilidade. Nesse sentido, a inédita realização dos Jogos Olímpicos em 2016 no Brasil constitui enorme oportunidade.

As políticas de turismo, coordenadas pelo Ministério do Turismo, buscam dinamizar o setor por meio de diversos instrumentos: melhorias da base legal e do ambiente de negócios; investimentos; estímulos ao empreendedorismo; apoio à estruturação de destinos e produtos turísticos; aprimoramento da qualidade da oferta turística; consolidação da inteligência competitiva.

As políticas públicas voltadas para o setor do turismo estão expressas no PPA 2016-2019 no Programa Desenvolvimento e Promoção do Turismo que está amparado na diretriz estratégica de “promoção da ciência, da tecnologia e da inovação e estímulo ao desenvolvimento produtivo com melhoria do ambiente de negócios, ampliando a produtividade, a competitividade e a sustentabilidade da economia”.

O programa possui dois objetivos que se relacionam aos objetivos estratégicos da Politica de Nacional de Turismo:
i) aumentar a competitividade dos destinos, produtos e serviços turísticos;
ii) promover os destinos, produtos e serviços turísticos brasileiros no País e no exterior.

As Metas estabelecidas pelo Programa propõem, dentre outras ações: qualificar 24 mil profissionais, concluir 2.000 obras de infraestrutura turística, e aumentar a entrada de turistas estrangeiros no Brasil.